BIOGRAFIA

LICA TITO tem a cultura hip hop correndo nas veias – seu histórico comprova. Mas em sua estreia solo, a ex-vocalista da banda gaúcha Groove James e fundadora do pioneiro grupo feminino de rap gaúcho La Bella Máfia mostra que sua sonoridade se diversificou e ganhou novas cores com pegada pop.

TRAJETÓRIA

Filha de DJ uruguaio, Lica cresceu cercada por um acervo de vinis que ia de Michael Jackson e Sly & the Family Stone a Tim Maia e Jorge Ben. Não demorou para se aprofundar na Soul Music e no Funk dos anos 70 – e daí paro Rap bastaram uns rolês de skate em Porto Alegre, onde passou a adolescência. “Eu não conseguia ficar só na música: queria saber quem gravou, quem produziu, em que ano…  Nessas pesquisas acabei estudando a cultura Hip Hop e, posteriormente, conheci Afrika Bambaataa (um dos principais precursores), com quem tempos depois tive a honra de dividir o palco no Dulôco 99 em São Paulo”, conta. A produção autoral de beats e rimas começou ainda na adolescência e a levou a buscar referências musicais de todos os gêneros para seus samplers. “Ainda me sinto muito inspirada pelo nascimento da cultura hip hop, quando as diretrizes eram ‘Peace, Unity, Love and Having Fun’, conceito que ainda pulsa no meu coração, pensamentos e ações.”

Com a entrada na big band Groove James, o vozeirão de Lica – talhado desde a infância de solista no coral da escola – se destacou. Foram 7 anos de estrada com a banda e muito aprendizado musical. No início dos anos 2000, a artistajá era referência no Rap feminino brasileiro, tendo ganhado prêmios como Melhor Música do Ano (Prêmio Açorianos 2001) e Melhor Rap Feminino do Brasil (Prêmio Hutúz 2006).

TRABALHO SOLO

A decisão de seguir carreira solo a levou a trocar a capital do Rio Grande do Sul pelas paisagem cariocas e finalmente gravar suas composições autorais num álbum que revela toda essa pluralidade musical. O repertório traz um mosaico de momentos inspirados nessa trajetória e sua sonoridade reflete amadurecimento artístico raro em um álbum de estreia – exatamente por isso o título “THE BEST OF ATÉ AGORA” (ouça abaixo). O disco foi produzido e masterizado pelo multiinstrumentista Günter Fetter, mixado por Vitor Farias e tem participações especiais dos africanos Lenzo Rizzo (na faixa “Por Você”) e Riztocrat (na faixa “Noite”) e dos rappers alemães Mistah Nice e Wus (na faixa “Cada Dia Mais e Mais”).

LINHA DO TEMPO

Picture

Lica Tito conhece o rap e faz as primeiras rimas

1994
Picture

1º Show e gravação

1997
Picture

Integra a banda Groove James

1998
Picture

Canta com Afrika Bammbaata – Du Loco 99

1999
Picture

Ministra oficinas de hip hop na FEBEM-RS; cria a banda La Bella Máfia

2000
Picture

Lança Disco com a Groove James; canta no Festival Planeta Atlântida

2001
Picture

1ª Turnê Rio Grande do Sul

2002
Picture

1ª Turnê Brasil; Produz e apresenta programa de Rádio “Responsa” (Hip-Hop)

2003
Picture

Show e gravação na Alemanha

2004
Picture

Ministra oficina de rima e composição na Floresta Amazônica e no 25º Festival de Música de Londrina/ PR

2005
Picture

Shows FIFA Fan Fest, Copa do Mundo FIFA (Alemanha). Prêmio Hútuz de Melhor Rap Feminino do Brasil; Canta no Chile com Beastie Boys.

2006
Picture

Show na sede da ONU em Nova Iorque; Open Show Akon e Ja Rule em Porto Alegre

2007
Picture

Inicia carreira solo

2008
Picture

Show em Cuba (Festival Rotilla)

2010
Picture

Turnê Europeia (Espanha, França e Alemanha)

2011
Picture

Show em Homenagem à Amy Winehouse no Festival Back to Black; Realiza o Sarau Déjà Vu (Studio RJ)

2012
Picture

Compõe seu primeiro Jazz (“Padabadubá”)

2013
Picture

Inicia projeto Lica Tito Tributo a Amy Winehouse

2014
Picture

Finaliza o disco “The Best of Até Agora”

2015
Picture

Lançamento 1º CD solo autoral – “The Best of... Até Agora”

2016